Carência Afetiva

 

carência afetiva é um problema cada vez mais preocupante em uma sociedade em que muitos pais passam grande parte do dia trabalhando, dispondo de pouco tempo para estar com os filhos. Em alguns casos, esses pais tentam compensar a falta de atenção com presentes e sendo permissivos. 
Esse tipo de situação pode originar uma carência afetiva nas crianças, já que nenhum presente pode compensar a falta de carinho e de atenção dos pais; além disso, a necessidade de se colocar e vivenciar limites ser fundamental na educação. 
Com pais ausentes, as crianças podem passar muitas horas diante da televisão, no computador ou no videogame, em vez de desfrutar do afeto e da atenção que deveriam receber de seus pais. Evidentemente, esse tipo de situação em que as crianças são deixadas nas mãos da tecnologia é altamente impessoal pode conduzir à carência afetiva.

O que é carência afetiva? 
Podemos definir a carência afetiva como uma situação de falta de cuidados, atenção, apego e proteção por parte dos pais ou cuidador habitual da criança. Esse problema pode ser causado por abandono e maus-tratos, embora também possa ser provocado por pais emocionalmente ausentes ou distantes, que não dedicam tempo de qualidade a seus filhos. 
Consequentemente, essa criança, que, na realidade, é muito sensível emocionalmente e consegue captar os sinais não-verbais mais sutis dos adultos, não se sente querida, ao contrário, percebe-se rejeitada ou ignorada no seio da família. 
Devemos levar em consideração que, ainda que as crianças pequenas não sejam plenamente conscientes do que isso significa, elas intuem que estão crescendo em um ambiente onde não recebem a atenção e carinho de que necessitam. Dessa forma, essas crianças sabem que não têm uma pessoa que as apoie, sensação extremamente prejudicial do ponto de vista emocional.

Sintomas de carência afetiva em crianças 
Cada criança é única e reage de maneira diferente, quando passa por uma situação de carência afetiva. Algumas podem se refugiar em seu mundo interior, tornando-se medrosas e tímidas, enquanto outras expressam seu sofrimento por meio da agressividade. 
Ainda assim, existem alguns sintomas de carência que costumam estar presentes na maioria dos casos, são eles:

  • medos e fobias, sobretudo os relacionados ao abandono;
  • problemas para expressar os próprios sentimentos.
  • dificuldade em controlar impulsos;
  • desconfiança generalizada em relação à maioria das pessoas;
  • transtornos de ansiedade;
  • mudanças abruptas de comportamento e de estado emocional;
  • habilidades sociais escassas e linguagem pouco desenvolvida para a idade.

Consequências da carência afetiva para o desenvolvimento infantil 
Uma situação de carência afetiva provoca uma grande avidez de afeto na criança, assim como um profundo medo de perder as pessoas amadas. Como resultado, essa criança se mantém em um estado de ansiedade permanente, em busca de relações afetivas que possam satisfazer essa necessidade de amor e de segurança. 
Devemos ter em mente que as crianças precisam de carinho, de brincadeiras, de beijos e de abraços para crescer. Não é suficiente alimentar um bebê; é necessário lhe proporcionar um ambiente estimulante, seguro e cheio de amor. 
As demonstrações de afeto são benéficas para a formação da personalidade da criança e também para sua maturação neurológica. Sem tais demonstrações de amor, o desenvolvimento neurológico de uma criança não se completa, e isso pode gerar diferentes problemas ao longo de sua vida. Por exemplo, a carência afetiva geralmente conduz à formação de uma personalidade insegura, caracterizada pela imaturidade emocional, pelo individualismo e pelos problemas de identidade. 
Estudos também demonstram que crianças que sofrem de carência afetiva, quando crescem, têm problemas para manter relações estáveis saudáveis e costumam sofrer profundos conflitos de valores. 
É preciso estar alerta para os sintomas de carência afetiva em crianças e não ter medo de encarar o problema, sob o risco de prejudicar o desenvolvimento emocional e social dos filhos para o resto de suas vidas. 
Existe uma falsa noção de que somente crianças expostas a maus-tratos ou a condições extremas de pobreza podem desenvolver problemas emocionais, mas não é bem assim. 
Uma criança pode se alimentar bem, viver em uma casa confortável, estudar em uma boa escola e, ainda assim, sofrer de carência afetiva. A tecnologia traz muitos benefícios educacionais às crianças, mas não substitui o aprendizado que as experiências em família proporcionam. A falta de tempo dos pais é uma realidade nos dias atuais, porém sempre é possível encaixar momentos de troca de afeto na rotina de pais e filhos.

Referências: Adaptado de “Síntomas de carencia afectiva en los niños”. Etapa Infantil.

 

             

 

ARTIGOS